Documento sem título
   
 
 
 
 
 
 
Rua Anchieta, 355 - Jundiaí-SP
 
 
Nesta sessão você encontrará notícias e artigos para manter sua saúde sempre em dia!
 
28/11/2018
Cuidados com o pé diabético

O diabetes já é um grande problema por si só, afinal, são cerca de 420 milhões de pessoas afetadas no mundo. E, só no Brasil, esse número chega a 14 milhões. Porém, a doença ainda pode evoluir para uma série de complicações. “Podendo afetar ambos os sexos de igual forma, o pé diabético ocorre quando uma área machucada ou infeccionada nos pés, como uma bolha, frieira ou até mesmo um calo, evolui para uma ferida maior, que, se não tratada, pode agravar-se e levar a necessidade de amputação”, explica a angiologista Aline Lamaita. Deu para notar como os cuidados com o pé diabético são necessários, não é mesmo?

Mas, por que ocorre?

Segundo a especialista, acontece por que os altos níveis de glicemia no sangue tornam a circulação sanguínea deficiente. Consequentemente, as células de defesa do sistema imunológico diminuem, a cicatrização e a regeneração de tecidos são mais difíceis e os nervos periféricos, responsáveis pela sensibilidade nos pés, sofrem danos.

Dessa forma, o organismo passa a não conseguir curar as feridas que surgem no local. “Os principais sintomas desta condição incluem perda da sensibilidade nos pés, sensação de formigamento frequente, queimação nos pés e tornozelos, dor e sensação de agulhadas, dormência e fraqueza nas pernas”, alerta a médica.

Diagnóstico precoce é fundamental!

Você sabia que a segunda maior causa de amputações no país é o pé diabético, ficando atrás somente dos acidentes? E isso ocorre porque, apesar da presença dos sintomas, a maior parte dos diabéticos só percebe a gravidade do problema quando surge uma ferida ou infecção que não passa. “Por isso, se você possui diabetes, ao notar a presença de qualquer um dos sintomas citados acima, o mais importante é procurar um médico para iniciar o tratamento, que é feito de acordo com o tipo de lesão no pé e a sua gravidade”, destaca a angiologista.

Prevenção

Como diz o ditado: é melhor prevenir do que remediar. E isso é possível através de cuidados e hábitos inseridos na rotina de quem sofre com diabetes. Por exemplo, é fundamental a inspeção diária dos pés à procura de pequenas feridas, bolhas, áreas avermelhadas, alterações nas unhas, calos e mudanças na forma e na coloração dos pés. Segundo a especialista, também é importante utilizar apenas sapatos macios, leves e moldados na forma dos pés e evitar andar descalço ou com sandálias e chinelos.

Fonte: Alto Astral



 
Documento sem título
           
 
Telefone: (11) 3379-4321 / 4521-9858
Rua Anchieta, 355 - Jundiaí-SP

contato@aguamel.com.br
 
Receba em seu e-mail nossas promoções, lançamentos e dicas de saúde!
Home | Agua Mel | Produtos | Canais | Orçamento | Contato
   
Copyright © 2013 - Todos os direitos reservados
Produzido por FrameSet
 
Aceitamos: